Médicos defendem prerrogativas e diálogo

Notícias1 de novembro de 2022
Médicos defendem prerrogativas e diálogo

O Senado Federal realizou sessão solene pelo Dia do Médico, na tarde desta segunda-feira. Em suas falas, os representantes das entidades médicas reafirmaram que os médicos defendem prerrogativas e diálogo sobre os rumos da medicina e da assistência em saúde no Brasil.

Os pontos em destaque constam na Agenda dos Médicos para a Saúde do Brasil. Esse documento foi entregue a todos os candidatos à Presidência, no primeiro turno das eleições. E dele constavam propostas e demandas com foco na valorização do médico, do ensino da medicina, melhor financiamento da saúde, em defesa do Revalida e da obrigatoriedade de registro nos Conselhos Regionais de Medicina para exercício da atividade no Brasil.

Presidindo a sessão, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) saudou todos os médicos. Também reconheceu a importância e os desafios da profissão e a necessidade de dar aos profissionais de saúde os meios para executar dignamente sua função. “Teremos um novo governo. Mas nos hospitais não há novo tempo, o tempo é o agora”, afirmou, dando a noção da urgência que a garantia de assistência em saúde de qualidade para a população brasileira.

Defesa de prerrogativas e diálogo

O presidente do Conselho Federal de Medicina, José Hiran Gallo, destacou a abertura para o diálogo e enfatizou a defesa da medicina brasileira. “Não é aceitável que se tenha uma medicina para ricos e outra para pobres”, afirmou o presidente do CFM.

O senador Guaracy Silveira (PP-TO) destacou que todos temos motivos para agradecer a um médico e discorreu sobre contribuições históricas de médicos e pesquisadores. Contribuições essas, que melhoraram e aumentaram a expectativa da vida humana.

Convidados, médicos da Secretaria de Estado de Saúde do DF, discorreram sobre a abnegação do profissional da medicina no exercício de sua atividade e da valorização da ética e da boa formação do profissional da área.

Explanaram sobre o desempenho dos médicos na luta para salvar vidas na pandemia da covid-19. Também apontaram a necessidade de união da classe médica em torno de suas entidades representativas. O presidente da Federação Nacional dos Médicos, Gutemberg Fialho, destacou a importância da atividade médica. “Ser médico é uma experiência fantástica e poucas pessoas têm a oportunidade de vivenciar o que vivenciamos”, disse. “As dificuldades e desafios são enormes, mas com união, trabalho e estratégia, nós os superaremos”, enfatizou Dr. Gutemberg.

Related Posts

Post your Comment