Presidente da FENAM participa de encontro sobre Clínica Médica

27 de abril de 2018
O presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Dr. Jorge Darze, participou do III Fórum de Clínica Médica com o tema: Clínica Médica na Estruturação e Acesso ao Sistema de Saúde. O evento foi realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e aconteceu nesta sexta-feira (27), na sede da entidade, em Brasília (DF). 
 

Dentre os temas debatidos foram o cuidado do adulto no sistema de saúde secundário e terciário, a análise crítica da proposta da CT de Clínica Médica do CFM; a mudança de nome da especialidade e especialista; e apresentação das competências do clínico ou internista. Além disso, foi discutido sobre a possibilidade da especialidade Clínica Médica passar de dois para três anos de formação.
 

De acordo com o presidente da FENAM, o assunto mais preocupante que precisa ser debatido é o ensino médico, que hoje vive uma situação precária. “A questão da residência médica é um problema grave, há cursos que não tem condições mínimas para formar os profissionais. A própria Comissão Nacional de Residência Médica já tem denunciado esses fatos, em alguns casos ela tem feito diligências, como aconteceu com dois hospitais universitários no Rio de Janeiro”, declarou. 
 

Darze lembrou ainda sobre os estudantes, que não conseguem vagas em universidades públicas e precisam fazer financiamentos para cursar em faculdades particulares. “Estamos formando médicos que já saem endividados com dívidas monstruosas. Talvez a necessidade de sobrevivência desse profissional faça com que ele não busque uma especialização e já entre no mercado de trabalho”, disse.
 

O presidente da entidade expôs que como proposta final, deveria ser feito uma consulta pública para saber a opinião dos residentes sobre as questões debatidas e, após isso, deveria ser implementado um projeto piloto em algum hospital universitário. 
 

I Olimpíada Brasileira de Medicina Interna

Durante o III Fórum de Clínica Médica, o CFM presenteou os quatro vencedores da I Olimpíada Brasileira de Medicina Interna. De acordo com a entidade, o concurso tem como objetivo de divulgar a especialidade entre estudantes do sexto ano de graduação de medicina e residentes em clínica médica. 
 

Foram 535 inscritos de faculdades e residências de todos os estados do país. Os candidatos foram submetidos a provas escritas e objetivas realizadas por meio eletrônico. Foram disponibilizadas três horas para os candidatos responderem oitenta questões de múltipla escolha com base em casos clínicos.
 

Os vencedores dessa edição foram: Categoria Sexto Ano: Daniel Abdalla Added Filho; Categoria R1: Ana Flávia Garcia Silva; Categoria R2: Antonio Eduardo Ribeiro Nakamura; e Categoria R3: Diego Aparecido Rios Queiróz. 

Publique seu comentário