No Rio: Fenam apoia protestos contra privatização dos hospitais federais

Notícias25 de abril de 2024
No Rio: Fenam apoia protestos contra privatização dos hospitais federais

Na manhã dessa quarta-feira (24), profissionais da saúde protestaram em frente ao Ministério da Saúde do Rio de Janeiro contra qualquer forma de privatização dos Hospitais Federais do Estado. A Fenam esteve presente, representada pelo seu diretor de Relações Institucionais e Sindicais, Jorge Darze.

“A solução para os problemas das redes federais não está na privatização, mas sim em uma gestão competente que ofereça o suporte necessário para os hospitais federais aqui do Rio de Janeiro. Embora o Ministério da Saúde tenha reconhecido, em entrevista coletiva, a situação caótica em que se encontra a Rede Hospitalar Federal do Rio, acredito que um ano e quatro meses de governo foram mais do que suficientes para que soluções fossem apresentadas para reverter essa situação. Se até agora nada foi resolvido, a responsabilidade não é dos servidores, mas sim do Governo Federal, mais especificamente do Ministério da Saúde”, destacou Dr. Darze.

Além dos médicos, também participaram da manifestação outros profissionais de saúde.

Confira abaixo as principais reivindicações:

Concurso Público: É urgente a realização de um concurso público para preencher o déficit atual de aproximadamente 8 mil servidores na rede hospitalar. O último concurso público foi realizado em 2005.

Gestões competentes e profissionalizadas: É fundamental a implementação de gestões competentes e profissionalizadas para administrar as unidades de saúde, contribuindo para melhorar o desempenho e garantir a eficiência em todas as unidades.

Planejamento estratégico: Um planejamento estratégico robusto é necessário para garantir o funcionamento adequado das unidades de saúde, evitando problemas como o de desabastecimento, que têm ocorrido com frequência, como falta de medicamentos, equipamentos e manutenção adequada.

Participação conjunta: É essencial que a população e os servidores tenham voz ativa na definição dos destinos das unidades de saúde, trabalhando em conjunto com os diretores para abordar as questões enfrentadas por essas unidades. “Anteriormente existiam os Conselhos de Gestores, mas que foram extintos no governo Bolsonaro. É preciso que esses Conselhos retornem para que essa gestão, de fato, possa ser democrática e participativa”, defendeu Dr. Darze.

Carta Aberta

Após entrevista coletiva da Ministra da Saúde, Nísia Trindade, o Movimento Unificado Sindical da Saúde e as Associações dos Servidores dos Hospitais Federais do Ministério da Saúde enviaram uma carta aberta à ministra e ao Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, demonstrando preocupação com os destinos dos hospitais federais do Rio de Janeiro.

No documento, as entidades esclarecem que já foram elaborados inúmeros relatórios ao longo de todos os governos apontando estratégias e ações de melhorias. Na carta, é pedido que o bom senso prevaleça e que haja uma mudança de rumo para evitar uma colisão devastadora.

“Nossos hospitais federais no Rio de Janeiro, tão importantes para a população, não podem mais ser negligenciados. É imprescindível que haja uma avaliação séria e comprometida para reverter essa situação de caos”.

Related Posts

0 0 votes
Article Rating
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Notícias Recentes

Fenam participa de Mesa Nacional de Negociação Permanente do SUS
Governo se compromete com a equiparação da gratificação por desempenho
Avança negociação do reajuste salarial dos servidores do Ministério da Saúde
CARTA ABERTA AOS BRASILEIROS
0
Would love your thoughts, please comment.x