Comissão de Saúde da ALERJ fará audiência para discutir a crise nos hospitais federais do Rio de Janeiro

Notícias16 de maio de 2019
Comissão de Saúde da ALERJ fará audiência para discutir a crise nos hospitais federais do Rio de Janeiro

 O presidente da FENAM, Jorge Darze, e o vice-presidente do Corpo Clínico do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB/RJ), Júlio Noronha, foram recebidos nesta terça-feira (14) pela presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, a deputada Martha Rocha. Eles levaram ao conhecimento da parlamentar o quadro crítico enfrentado pelos hospitais da rede pública federal em funcionamento no Rio, salientando que, embora eles sejam geridos pelo Ministério da Saúde, é papel do legislativo estadual cobrar do governo federal e buscar saídas para os muitos problemas enfrentados pelas unidades, que repercutem na qualidade do atendimento à população. 
   Durante o encontro, a deputada Marta Rocha assumiu o compromisso de convocar o quanto antes uma audiência da Comissão de Saúde para discutir o assunto. “Esses hospitais atendem à população de todo o estado. Por isso, reconhecemos que é uma iniciativa positiva da ALERJ, e entendemos  que é dever e papel da Comissão investigar o que está acontecendo nas unidades”, frisou Darze. 
   O HFB e os hospitais do Andaraí e Cardoso Fontes, que mantêm a Emergência aberta 24 horas, são exemplos da drástica situação vivida hoje pelas unidades federais. O déficit acentuado de profissionais de saúde é a principal causa, que vem sendo agravada pela não realização de concurso público e pela contratação de médicos por contrato temporário, o que além de ser prejudicial para os profissionais, não garante a continuidade de atendimento aos pacientes. 
   As emergências são as portas abertas para uma demanda crescente em decorrência do aumento da violência e da crise da Atenção Básica, que não consegue dar um atendimento satisfatório.
   Os médicos dessa rede são os mais prejudicados com a crise, já que recebem os mais baixos salários, se comparados com as demais categorias de nível superior do Ministério da Saúde, e um dos menores do governo federal. A categoria defende, além do concurso público, um plano de cargos, carreiras e salários que garanta salários compatíveis que a função exercida.

Posts Relacionados

Publique seu comentário