III Fórum Nacional de Integração do Médico Jovem é encerrado com aprovação da Carta de São Paulo

31 de julho de 2018

Na última quinta-feira (26), foi encerrado o III Fórum Nacional de Integração do Médico Jovem, iniciado no dia anterior, no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. O presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Dr. Jorge Darze, participou da mesa de encerramento, onde destacou a importância da solenidade e esclareceu como as propostas apresentadas no Fórum poderão contribuir com o movimento médico nacional. A secretária da FENAM Regional São Paulo, Dra. Marta Maite Sevillano, licenciada devido ao processo de candidatura nas eleições, também participou do evento.

O encerramento contou com a leitura da Carta de São Paulo por um dos coordenadores da Comissão de Integração do Médico Jovem do CFM. O documento destacou os principais objetivos do Fórum, a serem implementados pelos médicos, sobretudo os jovens, junto às entidades representativas da categoria. Segundo a carta, as principais propostas são a ampliação do apoio e da participação dos médicos jovens na rede dos Conselhos de Medicina, o reforço à implementação dos núcleos de apoio à saúde mental, o combate à prática do assédio moral, o estímulo ao empreendedorismo em medicina e o reconhecimento do papel médico na gestão de saúde.

Estiveram presentes também, na mesa de encerramento, o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Dr. Carlos Vital Tavares Corrêa Lima, e o coordenador da Comissão de Integração do Médico Jovem da entidade, Dr. José Hiran da Silva Gallo, assim como os presidentes da Associação Médica Brasileira (AMB), Dr. Lincoln Lopes Ferreira, da Federação Médica Brasileira (FMB), Dr. Waldir Cardoso, do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CRM-SP), Dr. Lavínio Nilton Camarim, e da Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), Dr. Juracy Barbosa.

No segundo dia do Fórum, os temas debatidos foram a saúde do médico e as relações profissionais, com destaque para as questões relativas ao assédio moral, à saúde mental e à violência no meio de trabalho. Em seguida, iniciou-se um debate sobre as novas tecnologias e as inovações no ramo da Medicina, seguido por discussões acerca da ética médica na atualidade.

No encerramento do evento, Darze elogiou o Fórum, que reuniu médicos jovens de todo o país, através de suas representações, para discutir as principais pautas relativas à carreira médica, sobretudo em relação às dificuldades que a classe médica enfrenta ao exercer a profissão. “Na atual crise que o país vive, todo resultado tem que ser incorporado à pauta do movimento médico nacional. Não é possível a gente pensar no enfrentamento dessa crise de maneira isolada, segregada. Nós precisamos unir os esforços de todos os segmentos da categoria para que a gente possa vislumbrar a possibilidade de uma vitória”, concluiu Darze.

O presidente da FENAM ressaltou que o calendário eleitoral é a próxima agenda importante no movimento médico nacional, em que o relatório do Encontro Nacional das Entidades Médicas (ENEM), junto com o documento dos médicos jovens, poderão ser utilizados para informar aos candidatos quais são as principais reivindicações da categoria. 

Fonte: FENAM

Posts Relacionados

Publique seu comentário