Médicos de todo o país participam do movimento Fora Barros

7 de agosto de 2017
Essa quinta-feira (3) foi o dia de mobilização nacional contra as atitudes do ministro da Saúde, Ricardo Barros, em relação aos médicos e, principalmente, a sua gestão na saúde pública. Em todas as regiões do país houve manifestações. A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) liderou junto com outros sindicatos médicos uma série de atividades (confira na matéria), em Brasília-DF.

 

Em Minas Gerais, o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG) juntamente com o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRMMG), Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) e colegas médicos realizaram um protesto na porta do Conselho.

 No Rio Grande do Norte, o ato foi organizado pelo Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed RN), Associação Médica (AMRN), e Conselho Regional de Medicina (CREMERN), em Natal (RN). A concentração aconteceu às 15h na sede do sindicato e, em seguida, os médicos seguiram em caminhada até o CREMERN, onde foi finalizado o ato com o hino nacional.

Na Bahia, o ato, organizado pelo Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed-BA), contra a permanência de Ricardo Barros na pasta da Saúde começou na Praça das Gordinhas, em Ondina, Salvador (BA), de onde os participantes seguiram para o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb).

 No Amazonas, a manifestação Fora Barros também reivindicou por melhores condições de saúde para a população do Amazonas e a Regulamentação da Carreira Médica de Estado. O evento ocorreu em Manaus (AM), às 8h, em frente a Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

 

No Paraná, o protesto aconteceu, na Praça Santos Andrade, em Curitiba (PR), com o apoio do Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná (Simepar) e do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM–PR).

 

No Rio de Janeiro (RJ), o ato foi na Cinelândia, às 16h, os médicos cariocas pediram respeito à profissão e também participaram do movimento Fora Barros. 

 

No Maranhão (MA), o Sindicato dos Médicos do Estado do Maranhão (Sindmed-MA) fez protesto em frente à sede do Conselho Regional de Medicina (CRM-MA), localizado no bairro do Renascença, em São Luís. Os médicos pediram a saída do ministro.  

 Em Goiás, médicos se reuniram na sede do Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) para manifestar contra a precariedade da saúde pública no país. O protesto fez parte de uma mobilização nacional e foi coordenado pelo Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego) e pelo Cremego.

Fonte: FENAM com informações dos Sindmed-MA, Simepar, Simeam, Sindimed-BA, Sinmed RN, Sinmed-MG e Simego.

Posts Relacionados

Publique seu comentário