XIII Intensicardio: Dr. Gutemberg mostra realidade das UTI’s no Brasil

Notícias16 de agosto de 2019
XIII Intensicardio: Dr. Gutemberg mostra realidade das UTI’s no Brasil

Nesta sexta-feira (16), teve início a XIII Congresso Brasileiro de Cardiologia Intensiva (Intensicardio), em Brasília. O encontro segue até este sábado (17). O presidente da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e do Sindicato dos Médicos (SindMédico-DF), Dr. Gutemberg, participou da mesa de abertura do simpósio e palestrou, durante 20 minutos, sobre o cenário das Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s) nos dias atuais.

Também fizeram parte da abertura o diretor científico do Instituto de Cardiologia São Francisco de Assis (ICSFA), Ottoni Moreira Gomes; os coordenadores do encontro, Antoinette Oliveira Blackman e Ricardo Benfatti; o diretor da Associação Médica de Brasília (AMBr), Nasser Sarkis; o presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcelo Queiroga ; o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Alagoas (SBC-AL), José Wanderley Neto; o presidente da Academia de Medicina de Brasília (AMeB), Marcus Vinicius Ramos e o presidente da Sociedade de Cardiologia do DF (SBC-DF), Ederaldo Brandão.

UTI’s no Brasil

Em sua palestra, Dr. Gutemberg revelou que menos da metade dos leitos de UTI está disponível para o Sistema Único de Saúde (SUS) e a outra parte é reservada, exclusivamente, à saúde privada ou suplementar (planos de saúde), que hoje atende a 23% da população. Nesse sentido, observou, “a demanda por UTI é a décima maior causa de judicialização na Saúde”. O presidente da Fenam e do SindMédico-DF citou também, como exemplo, casos em que, mesmo com decisão judicial, os pacientes não conseguem UTI na rede pública.

Related Posts

Post your Comment

Notícias Recentes

Fenam e IBDM articulam estratégias para acelerar aprovação do Piso Salarial dos Médicos
Presidente da Fenam participa de reunião de Conselho da AgSUS
Em busca de benefícios para associados, Fenam se reúne com UnyleyaMED
Manifestação da Fenam em defesa da dignidade médica