Consolidada a Frente Parlamentar da Medicina, no Congresso Nacional.

Notícias15 de fevereiro de 2019

Os deputados federais e senadores eleitos e reeleitos integrantes da Frente Parlamentar da Medicina, que está sendo reativada no Congresso Nacional, participaram de solenidade realizada no último dia 13, na sede da Associação Médica de Brasília, com diversas entidades médicas filiadas ao Instituto Brasileiro de Medicina (IBDM), braço administrativo da Frente Parlamentar. A reunião contou com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que foi o primeiro presidente da Frente Parlamentar, e do deputado Hiran Gonçalves (PP/RR), seu atual presidente. Também participaram do encontro representantes da FENAM, da Associação Médica Brasileira (AMB), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Federação Médica Brasileira (FMB). 



A primeira medida tomada pelos parlamentares e pelas entidades médicas foi fazer uma pesquisa sobre os projetos de lei que interessam aos médicos para pedir o seu desarquivamento. Também está sendo organizada, para os próximos dias, uma reunião do IBDM para discutir os projetos de lei de interesse da categoria, com a participação do presidente da Frente e dos parlamentares que serão convidados para nela ingressar.


Mandetta falou da sua sensibilidade diante dos temas relacionados à área da saúde, entre eles, o combate à corrupção, a defesa do papel dos médicos brasileiros e da importância de se garantir condições de trabalho para esses profissionais, a defesa da Residência Médica e a suspensão da abertura de novas escolas médicas, entre outras questões. Ele ressaltou o seu compromisso com as causas da categoria e sua história de vida vinculada às bandeiras pelo movimento médico. As entidades médicas avaliaram o seu discurso de forma muito positiva, principalmente porque o ministro declarou a sua vontade de reverter as situações que violam os direitos dos médicos.


“Este encontro foi muito importante para consolidar o projeto de unidade das entidades médicas e, com a parceria da Frente Parlamentar da Medicina, nós teremos um instrumento importante na luta dos médicos brasileiros”, frisou o presidente da FENAM, Jorge Darze, durante o encontro.


Hiran Gonçalves informou que colheu as assinaturas de apoio dos deputados que demonstraram interesse em participar da Frente Parlamentar, já tendo conseguido o número necessário. A Frente Parlamentar já conta com o engajamento de 198 deputados e 12 senadores. Dessa forma, além de estar praticamente consolidada do ponto de vista político e regimental nas duas casas legislativas, a Frente já assumiu a responsabilidade de se integrar à luta dos médicos brasileiros. 


O deputado Hiran agradeceu pelo apoio recebido de Mandetta para assumir a Frente Parlamentar e reafirmou o compromisso de dar continuidade ao trabalho desse mecanismo, solidarizando-se com as pautas dos médicos, que serão definidas nos próximos dias a partir das prioridades do movimento médico nacional. Uma das principais bandeiras de luta da Frente Parlamentar é a Carreira Médica de Estado, a ser defendida no Congresso Nacional, a partir da revisão do modelo do programa Mais Médicos, com prioridade para os profissionais brasileiros.

Posts Relacionados

Publique seu comentário