Durante ato público, profissionais da Saúde denunciam caótica situação de trabalho de Bonsucesso

12 de março de 2018


 Na manhã desta segunda-feira (12), o presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Dr. Jorge Darze, se reuniu com o corpo clínico do Hospital Federal de Bonsucesso, no Rio de Janeiro (RJ), para debater e apontar uma solução para a situação da emergência da unidade, que começou a funcionar no dia 28 de fevereiro, apesar do déficit de profissionais.

Há mais de 15 dias, os servidores reivindicam que o governo cumpra seu papel de gestor e aponte uma solução para o problema. O que acontece é que a unidade hospitalar foi reformada e ampliada e agora possui estrutura semelhante aos melhores hospitais particulares brasileiros, no entanto não há trabalhadores suficientes para atender a população, pois o atendimento no novo setor foi iniciado com os mesmos 71 médicos da antiga emergência. 

Dr. Darze lembrou, durante seu discurso, a história de luta do hospital, que nunca se curvou diante das ameaças e situações que colocaram em risco o seu funcionamento. “Já tivemos vários tipos de gestões na direção deste hospital e o corpo de funcionários desta casa sempre soube reagir com competência e firmeza, contra todas as formas de arbitrariedade que aqui foram praticadas, anos atrás”, relatou o dirigente, que lembrou ainda que “não é possível manter um serviço dessa importância com o quantitativo de pessoas existente”.

Na parte da tarde, o corpo clínico de Bonsucesso e o dirigente da FENAM se reuniram no Departamento Geral dos Hospitais Federais do Rio de Janeiro (DGH), com o Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo. Estiveram presentes ainda, o Defensor Público Federal, Daniel Macedo, e o presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj), Dr, Nelson Nahon 

As partes envolvidas não chegaram à um consenso e, com isso, firmaram um acordo de retomar este debate em uma data a ser confirmada posteriormente.

Fonte: FENAM

Posts Relacionados

Publique seu comentário