Diretores da FENAM participam de debate sobre a crise na assistência psiquiátrica do DF

22 de fevereiro de 2018
Nessa terça-feira (20), diretores da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), representantes de entidades médicas, psiquiatras da rede pública de saúde o Distrito Federal (DF) e coordenador do Ministério da Saúde se reuniram na sede do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal (SindMédico-DF), em Brasília (DF), para tratar de questões relativas as queixas dos psiquiatras após mudanças nas políticas públicas implementadas pela Secretaria de Saúde do DF na área de Psiquiatria.
 

Um dos problemas relatados pelos psiquiatras foi a desarticulação do Instituto de Saúde Mental e o atendimento psiquiátrico a crianças e adolescentes por psiquiatra geral.
 

Dentre os participantes, estavam o presidente da FENAM, Dr. Jorge Darze, o 1º Secretário da entidade e também presidente da Associação Psiquiátrica da América Latina, Dr. Antônio Geraldo da Silva, e o presidente e o vice-presidente do SindMédico-DF, Dr. Gutemberg Fialho e Dr. Carlos Fernando, respectivamente, e o coordenador de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, Quirino Cordeiro Junior.
 

Dr. Darze destaca a importância do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal em ter convocado os médicos psiquiatras da rede pública do DF para debater a atual situação em que se encontra a assistência à saúde mental dessa região. “Os fatos que aqui foram relatados são de extrema importância e revelam a gravidade das condições de atendimento e de trabalho desses médicos. A FENAM se coloca à disposição para ajudar nessa luta em conjunto com o SindMédico-DF”, expôs.
 

De acordo com o 1º Secretário da FENAM, a reunião trouxe assuntos importantes à questão. “A discussão mostrou a triste realidade da saúde mental no DF, mostrou também as mudanças ditatoriais feitas pelo governo do DF, absurdos de gestão e aproximou os colegas que lutam por uma boa saúde me tal da população”, disse o psiquiatra.
 

Antônio Geraldo da Silva relatou que a partir dessa reunião serão solicitadas audiências com os gestores da Saúde para levar as reivindicações da categoria. 
 

Segundo o presidente do SindMédico-DF e secretário de Assuntos Jurídicos da FENAM, Dr. Gutemberg Fialho, a condução da política de atenção à saúde mental no Distrito Federal segue o mesmo padrão de desmantelamento de serviços já implantados e oferecidos à população com resolutividade satisfatória. “São mudanças desastradas que aumentam a desassistência”, relata Fialho.
 

Fonte: FENAM 

Posts Relacionados

Publique seu comentário