FENAM avalia situação dos hospitais cearenses

31 de janeiro de 2018


Nessa segunda-feira (29), a diretoria da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), cumpriu agenda de trabalho em Fortaleza, (CE). A visita faz parte do cronograma de ações da instituição, que tem o objetivo de avaliar o trabalho médico, a situação dos hospitais públicos do país, e apontar soluções para a melhoria da Saúde Pública.  

 A agenda se estendeu até essa terça-feira (30), e contou com a presença do presidente, Dr. Jorge Darz, e do Conselheiro Fiscal, Dr. José Tarcísio.  

 Como a realidade de grande parte do Brasil, o que se pode perceber é que a capital cearense também sofre com o descaso do governo.  “Os hospitais estão superlotados. No Hospital Geral de Fortaleza, os corredores estão cheios de pacientes, por falta de leitos nas enfermarias. Os médicos, como sempre, fazem o que está ao alcance para ofertar um tratamento digno”, relatou o presidente da FENAM.  

 Os dirigentes, acompanhados do ex-presidente da Associação dos Médicos de Fortaleza (AME), do Hospital Geral de Fortaleza, Jaime Benevides, visitaram este hospital. Depois eles foram ao Hospital de Messejana,  junto com médico da endoscopia digestiva, Paulo Prado. Foi constatado que em todas as unidades, as condições de trabalho dos médicos são precárias.

Dr. Daze, também participou de uma reunião com os médicos contratados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), e sugeriu a realização de uma assembleia geral para discutir o próximo acordo coletivo com a empresa, cuja data base é em março de 2018. 

No tocante à rede pública, o Conselheiro Fiscal da FENAM considera necessário que se realize um concurso público para que se possa contratar novos profissionais. “Não há médicos suficientes para atender as emergências e nem as consultas de rotina. É importante também que se amplie a capacidade de leitos, para que assim a população possa ser atendida adequadamente”, disse Tarcísio. 



Fonte: FENAM

Posts Relacionados

Publique seu comentário