Campanha Novembro Azul alerta sobre a prevenção do câncer de próstata

1 de novembro de 2017
Neste mês, se inicia a campanha: Novembro Azul. O objetivo é informar e conscientizar sobre o combate ao câncer de próstata. O mês foi escolhido porque no dia 17 de novembro é o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) também apoia essa causa. 


 

O presidente da FENAM, Dr. Jorge Darze, considera significativa essas campanhas, porque promovem debates sobre o tema. “Toda campanha na área da saúde pública é sempre muito importante, elas têm uma função social de grande relevância no sentido de divulgar e elevar a consciência das pessoas sobre a questão, sendo fundamental para melhorar a saúde da população”, diz. 


 

Darze afirma que essas ações de prevenção auxiliam em duas frentes, porque evita gastos públicos com o tratamento da doença em casos avançados e garante a cura e saúde dos homens. 


 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), o câncer de próstata é considerado o segundo mais comum na população masculina em todo o mundo, ocupando a 15ª posição em mortes por câncer, representando cerca de 6% do total de mortes por câncer no mundo. 


 

Em 2016, o instituto estimou 61.200 novos casos da doença no Brasil. Sendo que em 2013, o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS), registrou 13.772 mortes.  Por isso, é necessário ações e campanhas para divulgar informações sobre a doença, como o Novembro Azul. 


 

Esse tipo doença, segundo o INCA, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução de exames, pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.


 

O instituto também considera que para a prevenção da doença é fundamental ter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal. Recomenda ainda a prática de atividade física de no mínimo 30 minutos diários, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.


 

Exames


 

Para o Uro-Oncologista, Dr. Diogo Mendes, do Hospital Santa Luzia de Brasília (DF), o ideal é conscientizar a população masculina da importância de cuidar da saúde. “Desde criança nós devemos incentivar os meninos a irem ao médico, não adianta convencer o homem de se cuidar só na velhice”, relata.


 

Dessa forma, Mendes considera importante criar um hábito na população masculina mundial, pois não é só um problema do Brasil. “O homem não tem costume de se cuidar, é necessário a quebra desse paradigma social”, declara. 


 

O especialista considera que todos os exames devem ser feitos em conjunto e que é recomendado a partir dos 40 anos para homens com caso de câncer na família, e a partir dos 45 anos para os que não têm. “O exame de toque não é isolado, ele faz parte de um conjunto de fatores, são várias as ferramentas para diagnosticar o câncer, que é uma doença maligna que não dá sintomas”, explica.  


 

Ele explica ainda que há métodos diferentes para verificar e confirmar a doença. “Os exames são divididos em três, mas um complementa o outro, que são: um para avaliar o histórico clínico, depois os exames laboratoriais, que são o ultrassom e o PSA [Antígeno Prostático Específico], e por fim o toque retal”, completa. 


0 0 votes
Article Rating
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Notícias Recentes

CARTA ABERTA AOS MÉDICOS DO PROGRAMA MÉDICOS PELO BRASIL
Em audiência pública, Fenam apela por agilidade na aprovação do novo Piso Salarial de médicos e dentistas
Vitória! Alteração do decreto n° 11.999 restaura a Comissão Nacional de Residência Médica
Novas faculdades: Fenam se manifesta sobre norma regulatória do MEC
0
Would love your thoughts, please comment.x