Assembleia do Hospital de Clínicas de Teresopolis discute aumento de salário e o pagamento dos planos de saúde

23 de outubro de 2017

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM), representada pelo presidente, Dr. Jorge Darze, participou da assembleia dos médicos servidores do Hospital das Clínicas de Teresópolis Constantino Ottaviano, do Centro Universitário Serra dos Órgãos (Unifeso),  no município de Teresópolis (RJ), no último sábado (21). 

Dentre a pauta de discussão, estão as propostas de remuneração do atendimento dos pacientes usuários de planos de saúde e a reposição das perdas salariais no período de 2012-2017, referente ao estudo realizado pelo DIEESE.  Além disso, foram feitas várias denúncias sobre a precariedade do funcionamento do hospital. 

Darze esclareceu que a assembleia foi muito produtiva, pois todos os pontos propostos foram acatados. “Já solicitamos uma audiência urgente junto à diretoria da Unifeso, e esperamos que ela aconteça no prazo máximo de 15 dias, para que possamos negociar os pontos relativos à decisão da assembleia”. O dirigente enfatizou ainda que “o movimento vai continuar e já solicitamos também uma audiência junto ao Ministério Público do Trabalho”. 

Veja os principais pontos da ata:

– Os médicos informaram sobre a emergência que está em obras e com atendimento de fluxo normal; máquinas sendo usadas durante o atendimento com barulhos excessivos, dificultando o exame médico tornando o ambiente insalubre; ausência de uma sala de repouso para os médicos; não tem banheiro privativo para os médicos; superlotação do alojamento dos funcionários noturno, dentre tantas outras; 
– Foi aprovada a denúncia junto ao Ministério Público do Trabalho, ao Conselho Regional de Medicina, e à Delegacia Regional do Trabalho e a Vigilância Sanitária;
– Sobre o percentual de remuneração dos pacientes do Plano de Saúde, é referente ao valor da consulta que os médicos recebem. Era 70% do valor pago pelos planos.  A direção quer mudar esse percentual e os médicos apresentam uma contraproposta de 50% do valor pago pelos planos de saúde;
– Sobre as perdas salariais do período de 2012 a 2017 foram reivindicados os percentuais estabelecidos pelo DIEESE; 
– Foi destacada ainda a necessidade do pagamento do adicional noturno que têm sido excluídos dos salários contrariando a legislação vigente, e feriados trabalhados deve ter remuneração em dobro da hora extra; 
– Quanto às demissões ocorridas recentemente, de duas médicas, por retaliação, a assembleia por unanimidade, aprovou o imediato retorno por considerar esta medida administrativa como arbitrária e ilegal ignorando os mandados de Delegadas Sindicais.  
Leia mais: 

Médicos de Duque de Caxias (RJ) mantêm greve
 

Fonte:
FENAM

Posts Relacionados

Publique seu comentário