Médicos e demais servidores da saúde de Caxias decidem manter a greve

10 de outubro de 2017

O presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Dr. Jorge Darze, participou nessa segunda-feira (9), de mais uma assembleia dos servidores municipais de Duque de Caxias (RJ).  O movimento, que luta por seus direitos trabalhistas, continua atuante, mas ainda não teve seus direitos respeitados. Com isso, foi decidida a manutenção da greve. 

No mês de setembro, o movimento grevista participou de uma negociação com a Câmara de Vereadores do município, sobre a possibilidade de mediação deste conflito entre os servidores e o prefeito, Washington Reis.  Os grevistas estavam confiantes, pois foram comunicados de que nesta semana teriam respostas sobre as propostas. 

Relato de um servidor (nome não divulgado para que não sofra retaliações) demonstra o descaso da prefeitura. A previsão era que tivesse canal aberto de negociação, com a presença de representantes da Câmara Municipal de Duque de Caxias. Apenas um  vereador, o Juninho (PSL), compareceu e afirmou que a previsão é de que o calendário de pagamentos seja regularizado apenas em fevereiro de 2018, e afirmou que o prefeito só abrirá um canal de comunicação, caso o os servidores saiam da greve.  “Percebemos que já é certo o não pagamento dos salários devidos”, disse o servidor que enfatizou ainda que o movimento não vai parar e que pretendem ocupar as ruas em busca da conquista de seus direitos. As notícias não são animadoras, mas socializo às mesmas para que juntos com todas as outras categorias, possamos pensar em estratégias mais eficazes que visem a garantia dos nossos direitos enquanto trabalhadores  e a nossa própria subsistência”. 

Darze esclareceu que a situação é um absurdo. “O atraso do pagamento dos salários, tem deixado os servidores em situação muito difícil, pois gera a impossibilidade desses servidores irem ao local de trabalho para atender a população, o que coloca em risco o funcionamento do sistema público de saúde”, alertou. 

O dirigente está confiante, pois o Ministério Público Estadual (MPE) agendou uma audiência, para o próximo dia 19 de outubro, às 13:30h, com os sindicatos para ouvi-los sobre o que está ocorrendo no município de Caxias, com relação à paralisação.  “Esperamos que o Ministério Público, ao ouvir nossos relatórios, possa agir no sentido de obrigar a prefeitura a cumprir a lei e, pagando o salario em dia, esses servidores possam voltar a ter condições de frequentar seus locais de trabalho e garantir que a saúde publica não sofra nenhuma interrupção no seu funcionamento”, disse. 

Já está marcada a próxima assembleia, para a segunda-feira (16), às 18:30h no auditório do Conselho Regional de Medicina (CRM) e uma outra na Câmara dos Vereadores, agendada para o dia 19 de novembro. 

Assembleia dos Médicos

Na parte da noite, Darze participou da assembleia dos Médicos, realizada no auditório do Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj), e devido ao não cumprimento das reivindicações, também foi acordado a manutenção da greve.  

Fonte: FENAM

Posts Relacionados

Publique seu comentário