FENAM repudia retaliação contra médicas da Unifeso

28 de setembro de 2017
Nessa terça-feira (26), as médicas Clarissa Rippel Guita e Silvia Araújo de Assis Mascarenhas Rezende foram demitidas do Hospital de Clínicas, sob gestão do Centro Universitário Serra dos Órgãos (Unifeso), em Teresópolis (RJ). A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) considera essa atitude como forma de retaliação contra a classe médica, porque a demissão veio depois de uma série de ações legais e constitucionais de reivindicações por melhores condições de trabalho na Unifeso. (Saiba mais). 


O presidente da FENAM, Dr. Jorge Darze, disse que essas demissões são uma ameaça a todos os médicos e que o ato foi uma ação autoritária, já que as médicas estavam exercendo seus direitos de se manifestar. “A FENAM toma ciência dessa situação preocupante e denuncia essa prática”, relata.


Darze disse ainda que a entidade irá entrar com um pedido contra essa medida de retaliação no Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (CREMERJ) e no Ministério Público do Trabalho (MPT). “A FENAM repudia essa retaliação contra as médicas. Vamos acionar a justiça do trabalho, já que essa situação contraria a legislação trabalhista”, conclui o presidente. 


Além disso, a FENAM irá envolver a Câmara dos Vereadores da região, porque os parlamentares estiveram na última audiência pública, realizada no dia 22 de setembro, e tomaram ciência dos problemas no Hospital de Clínicas. 

 Nesta quinta-feira (28), Câmara Municipal de Teresópolis manifestou voto de repúdio contra  a retaliação contra as contra médicas da Unifeso. 
 
Veja a íntegra da nota: 

VOTO DE REPÚDIO         

A Câmara Municipal de Teresópolis confere o presente VOTO DE REPÚDIO a Administração da UNIFESO em face a obstrução do exercício das funções precípuas da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Teresópolis em relação da Audiência Pública realizada no dia 22 de setembro do corrente ano que levou a demissão da Dra. Clarissa Rippel Bolson Guita e da Dra. Silvia Araujo de A. M. Rezende, por terem participado da referida audiência.


                    Tal atitude, tomada pela Administração da UNIFESO ao desempenhar um papel agressivo e abusivo concernente à obstrução do exercício das funções precípuas da Comissão de Saúde desta Egrégia Casa Legislativa, usando da arrogância além da forma arbritária com que penalizou as funcionárias supramencionadas por terem participado da Audiência Pública do dia 22 de setembro do corrente ano, mais também a população teresopolitana, impossibilitando a realização de um serviço altamente adequado em prol da saúde da população teresopolitana, vindo em desalinho com as necessidades de nossa sociedade, que merece todo o nosso respeito e consideração. Em virtude deste acontecimento o Poder Legislativo de Teresópolis vem expressar o seu repúdio.

                     Por tudo isto, fica registrado nos anais desta Casa Legislativa o presente VOTO DE REPÚDIO, para que produza todos os efeitos legais, demonstrando dessa forma o descontentamento desse Poder Legislativo quanto à atitude tomada pela Administração da UNIFESO.

 

 Sala das Sessões
 

Em 28 de setembro de 2017


Maurício Lopes (Vereador)

Publique seu comentário