Grupo protesta em frente à Prefeitura e cobra diálogo com Prefeito de Caxias do Sul

14 de junho de 2017

O ato em frente ao prédio da Prefeitura contou com representantes da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Fiesporte, causa animal, cultura, União das Associações de Bairros (UAB), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Caxias do Sul (APAE) e outros movimentos descontentes com o governo Daniel Guerra (PRB).

A busca por diálogo era uma demanda de todos os presentes, que pediam a presença do chefe do Executivo, que não compareceu.

A manifestação começou às 15h20 e se estendeu até 17h. Um caminhão de som foi usado para a manifestação de alguns representantes de categorias. Mais de 50 pessoas compareceram no local. Algumas faixas demonstravam o descontentamento das entidades. “Prefeito a greve dos médicos é culpa sua” e “Prefeito não destrua o SUS” estavam entre elas.

Outro fato que chamou atenção durante o ato foi a passagem do vereador Chico Guerra (PRB), irmão do prefeito, próximo à entrada do prédio da administração municipal. Ele foi criticado por manifestantes e foi abordado pela imprensa. Chico afirmou que não foi enviado pelo prefeito e estava apenas de passagem ao chegar de uma reunião.

O presidente da UAB, Flávio Fernandes, afirmou que o objetivo do ato foi fazer com que o prefeito abrisse um diálogo com as entidades e revisasse alguns dos posicionamentos. De acordo ele, o chefe do Executivo não irá conseguir governar sozinho e é preciso  deixar a eleição no passado. Flávio cobrou mais diálogo por parte de Guerra e relatou que o protesto poderia ter sido evitado.

Já Maria Gorete da Silva, mãe de dois alunos da Apae, que acompanha a entidade há anos, também está insatisfeita com o prefeito Daniel Guerra. Ela estava no protesto, pois a entidade não está recebendo recursos do governo municipal. Ela pedia compreensão dos profissionais envolvidos especialmente ao prefeito, a quem deixou um recado.

A médica Tatiana Furlan estava representando a causa animal de Caxias do Sul. Ela relatou que um dos motivos da manifestação era a falta de comprometimento do prefeito com as promessas de campanha. A opinião da entidade e o cancelamento do trabalho de castração de animais de rua foram algumas das citadas por ela.

Tatiana conta que votou, fez campanha para Guerra e foi cargo de confiança (CC) do atual governo, contudo foi exonerada. Exerceu a função de coordenadora médica no IPAM, porém afirma que não sabe os motivos que levaram à exoneração e afirma que se decepcionou com a transformação da administração.

O produtor cultural Robinson Cabral relatou o descontentamento com o que chamou de desdenho do governo Guerra. Ele também ressaltou que quando se fala de cultura se associa a outras áreas.

No fim do manifesto o prefeito foi procurado, mas optou por não se manifestar. A Prefeitura relatou que Guerra entende que toda a manifestação é livre e cada tema está sendo respondido pelos secretários das respectivas áreas.

Um dos organizadores do evento, presidente da assembleia geral da UAB, Paulo Sausen, informou que os protestos devem ocorrer a cada 15 dias até o diálogo com o prefeito ser estabelecido. A nova data precisa ser ainda confirmada.

Posts Relacionados

Publique seu comentário